sábado, 4 de novembro de 2017

Entenda a disputa pelo comando do Hospital Ana Virginia em Caaporã

Nesta quarta-feira (01), a Juíza de Direito de Caaporã, Dr. Daniere Ferreira decidiu tornar sem efeito o decreto de intervenção administrativa formulado pela prefeitura de Caapora perante o hospital Ana Virginia

A saúde pública no Município de Caaporã passa por um momento delicado, pois o único hospital da cidade, o Ana Virginia, encerrou hoje suas atividades pelo SUS. O Comunicado de encerramento de atividades é antigo, e a gestão do hospital pedia a assinatura de um convênio com a gestão pública, para garantir os recursos necessários para seu funcionamento.
A Secretaria de Saúde foi informada:
Por meio do Ofício n. 033/2017, de 24 de outubro de 2017, a Diretoria do Hospital notificou a Secretaria de Saúde do Município que encerraria suas atividades em 01 de novembro de 2017, não mais atendendo pelo SUS, contudo, mantendo apenas as atividades relacionadas à filantropia, limitando-se apenas à população carente, nos termos de sua designação.
A decisão final do hospital não era de negar atendimento à população, mas cumpriria a designação de atender apenas as pessoas mais carentes, de acordo com os termos de filantropia do hospital Ana Virginia.

A prefeitura tenta uma intervenção administrativa:

O Município de Caaporã, representado por seu prefeito constitucional, ajuizou uma TUTELA PROVISÓRIA ANTECEDENTE DE URGÊNCIA, em face da Associação de Proteção à Maternidade e Assistência à Infância de Caaporã, Unidade Hospital Ana Virgínia.
Segundo o prefeito Municipal, por meio do Ofício n. 033/2017, de 24 de outubro de 2017, a Diretoria do Hospital notificou a Secretaria de Saúde do Município que encerraria suas atividades em 01 de novembro de 2017, não mais atendendo pelo SUS, e por consequente, deixaria de atender a população mais necessitada do Município.
Neste sentido, antes do encerramento do atendimento do Hospital à população carente, através do SUS, o Município de Caaporã realizou procedimento administrativo que culminou na edição do Decreto n. 043 de 27 de outubro de 2017, decretando a intervenção administrativa no Hospital pelo período de 180 (cento e oitenta) dias, pelo Município de Caaporã, a fim de garantir o regular atendimento à população, sem que haja paralisação do funcionamento do hospital.

A justiça anula a intervenção administrativa:

Nesta quarta-feira (01), a Juíza de Direito de Caaporã, Dr. Daniere Ferreira decidiu tornar sem efeito o decreto de intervenção administrativa formulado pela prefeitura de Caaporã perante o hospital Ana Virginia. Segundo a Juíza; “depreende-se nos autos, o encerramento das atividades relacionadas ao SUS não atinge a população mais carente deste Município, visto que, conforme constante no ofício dirigido à Secretaria de Saúde de Caaporã, o Hospital Ana Virgínia manterá as atividades filantrópicas, atendendo, desta forma, como dito alhures, a população carente. Isto posto, sem maiores delongas, indefiro o pedido de urgência formulado. ”

A Secretaria de Saúde aciona o plano B:

Diante o encerramento das atividades pelo SUS no Hospital Ana Virginia, a Secretária de Saúde de Caaporã comunicou que o PSF do bairro do Piquete estará funcionand em regime de plantão24hs durante o feriado de finados, começando nesta quarta-feira (o1).
Ainda segundo a prefeitura, uma equipe medica estará atendendo a população, e o PSF estará aberto para receber os casos que não podem ser atendidos no H. Ana Virginia.



quinta-feira, 19 de outubro de 2017

Justiça determina reintegração de posse de terreno pertencente a Prefeitura de Caaporã




A Justiça determinou na manhã desta quarta-feira (18) a desocupação e reintegração de posse de um terreno pertencente a Prefeitura de Caaporã, que há meses foi invadido dezenas de pessoas. No terreno localizado nas imediações do Conjunto Pereirão (Cinco Bocas) e entrada da cidade, para os que vêm pelo trecho de Alhandra a Caaporã, será construindo um conjunto habitacional em uma parceria da Prefeitura Municipal com o Governo Federal e Caixa Econômica Federal.
A determinação da desocupação foi cumprida por Oficiais de Justiça e Polícia Militar.  Por volta das 07h do dia 03/10, Oficiais de Justiça, juntamente com o Comandante da 1ª CIA de Polícia Militar de Alhandra entregaram a segunda notificação para desocupação, quando os ocupantes foram convidados a se retirarem do local até às 18h daquele dia, sob pena de desobediência à ordem direta do Poder Judiciário.
Havendo resistência junto aos notificados e vencido o prazo determinado para desocupação, no dia de hoje a Polícia Militar da Paraíba, sob o comando do Major Lima, deu cumprimento à ordem de desocupação da Juíza de Direito de Caaporã, Daniere Ferreira de Souza.
A operação também foi acompanhada por Oficiais de Justiça e Servidores da Prefeitura e vem ocorrendo sem maiores intercorrências, de forma pacifica, após esgotados todos os prazos de dado pela justiça.
O gestor Municipal, Kiko Monteiro, informou que desde fevereiro estão tentando resolver a situação de forma administrativa, na base do diálogo. E, inclusive já teria solicitado dos funcionários da Secretaria de Desenvolvimento Humano e Inclusão Social que fossem até o local e realizassem o pré-cadastro daquelas pessoas, e a ação foi realizado no dia 10 de fevereiro/2017.
Mas que infelizmente, as várias reuniões realizadas com a comissão representante dos ocupantes, não haviam surtido qualquer efeito e que a Prefeitura, por uma exigência da instituição responsável pela implementação do projeto, a Caixa Econômica Federal, precisava do terreno desocupado para fim de implantação de um CONJUNTO HABITACIONAL DO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA, denominado PARQUE DOS IPÊS.
“É grande e histórica a dívida do município com relação a questão habitacional. Tenho consciência do grande número de famílias caaporenses que não possui casa própria. E tudo o que almejo, por meio desse importante projeto habitacional, é sanar um pouco dessa dívida. E que ao invés de famílias sobreviverem em barracos improvisados com restos de materiais, sem as mínimas condições de segurança. Elas possam ter uma moradia digna, como todo o ser humano merece”, disse o prefeito.



Portal do Litoral 

terça-feira, 12 de setembro de 2017

A FAVOR DOS FUNCIONÁRIOS PÚBLICOS OS VEREADORES OTO MARIANO, FILIPE CHAVES E ÁLVARO VIANA

AGRADECE AO PRESIDENTE AREMILSON CHAVES, POR TER TIRADO DE PAUTA O REFERIDO PROJETO CITADO.

Política | Em 12/09/2017 às 14h00, atualizado em 12/09/2017 às 14h07


sexta-feira, 31 de março de 2017

Vereador Oto Mariano da cidade de Caaporã utiliza a tribuna da Câmara e cobra da gestão Municipal Prefeito Cristiano Monteiro entre outros assuntos: o pagamento do mês de dezembro e a nomeação dos Concursados.


Vereador Oto Mariano utiliza a tribuna da Câmara e cobra da gestão Municipal entre outros assuntos: o pagamento do mês de dezembro e a nomeação dos Concursados.
O Vereador Oto Mariano utilizou a tribuna da Câmara na tarde desta última terça-feira (28) para cobrar da atual gestão o pagamento dos servidores da Prefeitura Municipal referente a dezembro/2016.
Em sua fala o vereador comentou que a falta desse pagamento prejudicou as finanças dos servidores bem como a economia da cidade, esse apelo tem sido feito pelo vereador em todas as sessões, sempre pedindo a administração sensibilidade para resolver essa situação, até porque essa dívida não é do ex e nem do atual gestor, e sim da instituição (Prefeitura) .
Quanto a 

nomeação dos concursados o Vereador também cobrou a nomeação dos mesmos, até porque foram submetidos a um concurso Público e foram aprovados por méritos, finalizando perguntei quando seria a posse dos mesmos, onde irá esperar na próxima sessão uma resposta.
Vamos continuar cobrando de maneira insistente e coerente até que haja uma solução desses fatos conclui o Vereador.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Luto: Morre Bernardo Filho, a “Voz de Ouro” do rádio paraibano




Luto: Morre Bernardo Filho, a “Voz de Ouro” do rádio paraibano


Facebook90WhatsAppTwitterGoogle+CompartilharEle era vice-presidente da Associação dos Cronistas Esportivos da Paraíba.
IMG-20160831-WA0918
Morreu na tarde desta quarta-feira (31) o radialista Bernardo Filho, aos 69 anos, depois de sofrer um infarto em casa, no Castelo Branco, em João Pessoa.
O filho e o sobrinho dele confirmaram as informações em postagens nas redes sociais e receberam mensagens de solidariedade.
“Pessoal! Infelizmente informo q meu pai, meu herói, meu guia acaba de falecer. Bernardo Filho foi morar com os anjos”, postou o jornalista Fábio Bernardo, filho do radialista.
“A quem me liga e me manda mensagem em busca de informações, confirmo: sim, meu tio Bernardo Filho acabou de falecer. Que dia triste! Estamos de luto. O radiojornalismo paraibano, também”, escreveu o jornalista Alysson Bernado.
Bernardo Filho é irmão do também comunicador, Bernardo Sherman (Bom Baiano) da Cruz das Armas FM, é tio do radialista e editor deste Portal do Litoral, Luiz Cláudio.
FB_IMG_1472677055022
“Ele foi o primeiro que me deu oportunidade no rádio, não só a mim, mas, meu tio ajudou muitas pessoas e deu oportunidades a muita gente. Ele tinha um coração enorme! Nossa família está transtornada, pois além de perder um ente querido, perdemos nosso ídolo, um homem de bem, de conduta ilibada e um amigo de todos “, disse Luiz Cláudio.
Bernardo tinha uma voz potente e ficou conhecido pelas coberturas esportivas no rádio, em várias emissoras de João Pessoa. No Sistema Correio, Bernardo Filho atuou na Jovem Pan AM, quando a emissora operava na capital paraibana.
O Auto Esporte, time do qual o radialista era torcedor, emitiu nota oficial lamentando a morte dele. A Federação Paraibana de Futebol (FPF), por sua vez, decretou luto oficial de três dias em homenagem a ele.
Familiares informaram que o velório deve começar na noite desta quarta-feira (31), a partir das 22h, na Central de velórios Parque das Acácias e o sepultamento está previsto para ocorrer nesta quinta-feira (1º), no mesmo local, às 16h.


Os pêsames para toda a família

Os meus mais sentidos pêsames para toda sua família pela perda do Grande Radialista Bernardo Filho. Que estas palavras possam servir de algum conforto a todos vocês em hora tão terrível. 

Saibam que os nossos pensamentos está com todos vocês e pedimos a Deus conforto para toda família ilutada, para que tenham muita força! Quem partiu foi muito amado e para sempre será lembrado por quem ficou e por ele sentirá eternas saudades.
São os votos de pesar de todo que fazem a Rádio Caaporã FM. 


terça-feira, 30 de agosto de 2016

Chico Nazário realiza arrastão e inaugura comitê central em Caaporã

Publicado em: 29 ago 2016

Chico Nazário realiza arrastão e inaugura comitê central em Caaporã

WhatsApp Image 2016-08-29 at 07.28.34
Na tarde desse domingo a cidade de Caaporã viveu o início da campanha de rua do candidato Chico Nazário (PCdoB) que ao lado de André da Pipoca (PTN) formam a chapa Unidos Por Caaporã. Essa chapa iniciou conseguindo unir adversários políticos históricos e conta com o apoio do PMDB de Dr. João Soares, do PSB de Manoel do Fumo e Jeane Nazário e de diversos outros partidos que unidos, formam uma grande frente popular.
O arrastão começou na Praça do Piquete e percorreu as ruas da cidade com uma grande multidão, ao final, os candidatos discursaram. Chico Nazário em sua fala afirmou vai transformar Caaporã, “nós vamos fazer o maior investimento da história de Caaporã na Agricultura, iremos garantir o aporte municipal para o Garantia Safra, vamos investir no esporte, resgatar a escola de música, investir na educação, com reforma, ampliação e construção de creches e escolas nossa cidade vai se desenvolver” e ele arrematou “não tenho medo do trabalho, já fui cortador de cana e hoje desejo ver nossas crianças na escola, pois pelo estudo elas terão um futuro digno, tenho coragem de mudar o que for preciso e vamos avançar, com o apoio do Governador Ricardo Coutinho e de todos que estão ao nosso lado.
O candidato a vice-prefeito, André da Pipoca, disse em sua fala “que trará para gestão a experiência de empresário e que a prefeitura investirá em educação profissional, com a parceria do SENAI/SESI/IEL” e finalizou sua fala agradecendo o apoio de Dr. João Soares, Manoel do Fumo e Jeane Nazário, que se uniram nesse projeto de dar o melhor futuro para Caaporã.
A multidão comentava que a cidade vestiu-se de Vermelho e Laranja para ver o Arrastão passar, foi um momento de alegria para os partidários de Chico que comentavam: “aqui do lado de Chico tá o povo, e o povo sabe quem sempre teve de portas abertas para nos ajudar e nos defender” fazendo referência a candidatura de oposição.

quarta-feira, 6 de julho de 2016

Prefeitura de Caaporã decreta Luto Ofici pelo falecimento de Salomão Veloso, pai do vice-prefeito


Prefeitura de Caaporã decreta Luto Ofici pelo falecimento de Salomão Veloso, pai do vice-prefeito



A prefeitura de Caaporã, no Litoral Sul da Paraíba, decretou luto oficial de três dias a partir desta terça-feira (04) pelo falecimento do senhor Salomão Veloso, pai do vice-prefeito da cidade, Saulo Veloso e do empresário Saló Veloso.
Após sofrer um Acidente Vascular Cerebral (AVC ), o senhor Salomão Veloso ficou cerca se três meses internado, e na manhã de hoje veio a triste noticia do falecimento do patriarca da tradicional Família Veloso.
Exemplo de homem digno, sério, íntegro, conciliador e o principal, ético em suas atitudes, seu Salomão traçou sua vida junto com a história de Caaporã e deixa um exemplo para ser seguido por todos que tiveram a honra de conviver com ele.
O velório acontece na residência da Família em Goiana-PE e o sepultamento será realizado às 16h, no Cemitério Municipal de Goiana.
Os meus pêsames são pelo falecimento de seu pai, uma pessoa de quem você se orgulhou e sempre se orgulhará. Um homem que vocês defendeu em inúmeros momentos e que vocês amavam com todas as forças. Um pai que também foi feliz por ter um filho incrível como vocês, Saulo Veloso e Saló Veloso.
Caro amigo,
Através dessa mensagem, quero mostrar meus sentimentos pelo que ocorreu. Infelizmente, por obras de forças que estão acima de nós, nem tudo segue o rumo que desejamos. Todavia, Deus sabe o que faz e o que é melhor para cada um de nós.
Conte comigo sempre!

Rosendo Junior.


quinta-feira, 23 de junho de 2016

Aline Karla A realização de um sonho de criança

Aline Karla A realização de um sonho de criança

São cinco horas da manhã de uma segunda-feira em Caaporã, na Zona da Mata Sul paraibana, a pouco mais de 60 quilômetros da capital, João Pessoa. É mais um dia de frete. Aline acorda e primeiro vai cuidar de atividades de casa que não abre mão, como preparar o café da manhã do marido e do filho de apenas seis anos, que já deve sair para a escola antes de ela se arrumar para o trabalho.


 
Pequenina, o corpo franzino, mas bem definido, fica quase imperceptível na larga camisa sem corte. ´É bom assim (referindo-se à camisa) para não perder o respeito dos colegas”, explica, falando sobre o forte preconceito, muitas vezes sob a forma de insinuações nem sempre românticas, que já foram mais fortes nos primeiros anos de trabalho mas que persistem até hoje. 

Vaidosa, Aline não deixa de lado alguns cuidados femininos mesmo trabalhando num ambiente predominantemente masculino. Os longos cabelos negros são presos num rabo de cavalo no alto da cabeça, calça jeans, sapatilhas cor de rosa e vistosas argolas completam o visual. 

Aline Karla da Silva tem 28 anos e há quatro é caminhoneira profissional, mas começou a pegar a carreta do pai aos 17. “Isso aqui é minha paixão”, repete várias vezes durante nossa conversa. 


 Já na rua de casa, arrumando a carreta de modelo Scania carregada com várias grades de cervejas que devem ser entregues até o final do dia em Natal (RN), ela conta um pouco mais sobre as dificuldades da profissão. “É preciso muita coragem, ousadia e força porque não é fácil pegar a BR”.

A paixão pelo veículo de carga pesada começou ainda na infância. Ela lembra quando o avô a colocava, junto com os irmãos e os primos, na boléia da caminhonete – uma festa para os pequenos. O avô e o pai de Aline também são caminhoneiros, mas nem sempre aprovaram a escolha da menina. “Meu avô e meu pai ficavam preocupados... vocês sabem, a fama de mulher de estrada, de ficar falada (...).”

 

 A escolha por se profissionalizar veio com o desejo de ajudar o pai, que sofre com uma doença crônica nas articulações e muitas vezes perdia o dinheiro do frete porque não tinha condições de dirigir. Era obrigado a depender de estranhos, a contratar terceiros para guiar a carreta pelas rodovias, sempre em percursos curtos. Depois de o pai perder uma carga importante, Aline tomou a decisão final. 

Sabendo que o pai não aprovaria – queria que a filha fosse enfermeira ou professora de matemática -, a paraibana escolheu um dia em que o pai estava fora e foi sozinha ao Detran do Recife (PE) tirar a habilitação tipo E. “Quando eu estava no meio do caminho, meu pai me ligou. Foi aquela confusão (...) ‘o que você pensa que está fazendo?, ele perguntava. O que você foi fazer, Aline! E eu, cheia de orgulho: 'Pai, estou tirando minha carteira de habilitação, estou me profissionalizando para pegar a estrada'”. 


 Foi com essa determinação que Aline aceitou fazer o que ela chama de prova de fogo: pela primeira vez, pegar a estrada sozinha. “Meu pai disse que eu ia fazer a prova de fogo dele. Que, se eu passasse, ele tinha certeza de que era isso mesmo que eu ia fazer da minha vida”. 

A carga deveria ser entregue em Garanhuns, no Agreste pernambucano. Era a primeira vez que ela iria para tão longe - mais de quatro horas na estrada percorrendo mais de trezentos quilômetros só na ida.

“Eu estava muito ansiosa, era muita adrenalina. Eu sabia que era uma prova final para mim (...) uma provação profissional. Quando eu cheguei em casa, meu pai olhou para mim, segurou na minha mão e disse: “Parabéns. Agora a decisão é sua.” Missão cumprida. 

Hoje, com a bênção do pai e o respeito conquistado, Aline só pensa em ter a independência de um dia possuir sua própria carreta para poder continuar a viver sua vida com paixão. 


 
 Fonte: Uol